terça-feira, 5 de agosto de 2014

Volta à Tona o Assunto da Maconha, Através de um Juiz de Direito

imagem: google

Acho que as pessoas que defendem a liberação da maconha devem ser usuárias, ou não devem ter filhos dependentes químicos. Eles sempre alegam que se liberassem a maconha, diminuiria o consumo. Eu não concordo, pois o álcool (que também é uma droga) é liberado e nunca diminuiu o consumo. Muito pelo contrário: cada vez mais cresce. Principalmente entre os jovens. Alegam que outros países já legalizaram. Ora, outros países são "outros países". Culturas (e Leis) totalmente diferentes da nossa. Sou totalmente contra porque convivo diariamente com um PROBLEMA causado por esta "inofensiva" plantinha. O meu filho começou a usar drogas, através desta "inofensiva" erva. Hoje ele se diz "desbloqueado" (quem usa todas: maconha, crack, cocaína...). Quem sabe dos prejuízos e problemas que ele causa por causa das drogas, somos nós, os pais. As pessoas que defendem a liberação da maconha precisam observar uma coisa: o álcool é liberado, mas tem gente que usa "socialmente", e tem gente que se torna tão "super-dependente" que acaba nas sarjetas, transformando-se num problema social. A mesma coisa é a maconha. Conheço pessoas que usam "socialmente". Mas tem gente que usa para criar coragem de roubar, assaltar, matar... Este assunto sobre a liberação é uma faca de dois gumes.   Talvez a "solução" fosse cadastrar os usuários "do bem" e colocar "fornecedores legalizados"  para vender-lhes a erva "bendita". Com isso tiraria os melhores consumidores (juízes, advogados, médicos, artistas, políticos...) das mãos dos traficantes, pois eles só ficariam com a ralé. E assim não ganhariam tanto dinheiro.

A.J. Cardiais

Um comentário:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Eu sou contra a liberação da maconha e de todas as drogas.
Mas queria que diminuíssem a sobretaxa do tabaco, pois estão quase que criminalizando o tabaco, o que incentiva neguinho a fumar maconha.